Arquivo da categoria: Processos Industriais

MANUFATURA 4.0 x PROCESSO 4.0

A Diferença da Digitalização e Indústria 4.0 entre Produção de Produtos Manufaturados e Processos Contínuos

A Indústria 4.0 nasce nos modelos de produção de manufatura, porém o conceito tecnológico está em todos os tipos de indústria.

A rigor, a Indústria 4.0 independe do modelo produtivo, uma vez que o conceito de produção industrial é a transformação de matérias primas em produtos consumíveis ou utilizáveis, todavia, existe uma diferença entre o foco na Digitalização na Manufatura e nos Processos Contínuos.

Neste contexto, vamos entender as diferenças que existem nestes dois tipos de indústria, uma vez que podemos dividir o setor industrial nestes dois grandes grupos, mas não vamos esquecer da produção em Lote, ou Batelada.

Veremos que o foco de projetos e resultados da Digitalização e Indústria 4.0 nestes segmentos, são diferentes, lembrando que um não exclui o outro, mas tem pesos e impactos diferenciados que devem ser observados.

Quanto ao impacto nas Pessoas e Processos, vamos descrever também suas diferenças, pontos importantes a observar na implantação e projetos.

A Transformação Digital na indústria é a aplicação das tecnologias da Digitalização, de forma a impactar toda a cadeia de valor, nas dimensões Tecnologia, Processos e Pessoas, orientado pelos seguintes itens de uso:

  • Digitalização de Ativos e Operações (IoT);
  • Conexão da Cadeia de Valor (IIoT);
  • Uso de Recursos de Cloud Computing;
  • Utilização de I.A. para Tomada de Decisões;
  • Uso de Tecnologias Habilitadoras.

O conceito e Indústria 4.0 é a interconexão de toda a cadeia de valor (Informações + Pessoas + Equipamentos) conectados em rede, utilizando Inteligência Artificial para a TOMADA DE DECISÕES na Indústria.

Quanto as tecnologias da Indústria 4.0, há diversas, e não queremos limitar o assunto, todavia para fins de estudo, precisamos entender que há um pré-requisito para implantação da Indústria 4.0, que passa pela Automação, Otimização e Convergência, a Digitalização Básica, é o próximo passo, isto é, tecnologias que estão dentro de qualquer contexto de digitalização, que são, IoT Internet das Coisas, Cibersegurança, Computação em Nuvem e Big Data, e finalizando, podemos utilizar a terminologia das Tecnologias Habilitadoras (é uma proposta de estudo), que na prática, viabilizam e aceleram o processo de Digitalização, tais como, Drones, Cobos, Aprendizado de Máquina, Impressão 3D, AGV, Realidade Aumentada, Realidade Virtual, Gêmeos Digitais, entre outras, lembrando que esta tecnologias são dinâmicas e estão em constante evolução e mudança.

O que é a Indústria da Transformação ou Manufatura:

  • Transforma e agrega materiais;
  • Fabrica componentes ou conjuntos;
  • Constrói um produto final ou subproduto;
  • É baseado em produção puxada;
  • É sensível ao fornecimento externo;
  • Produz lotes para um nicho de cliente;
  • Produção baseada em tempos e movimentos;
  • Produtos especiais são caros ou inviáveis.

O que é a Industria de Processos Contínuos:

  • Transforma produtos primários;
  • Fabrica produtos processados;
  • Fornece produtos final ou subproduto;
  • É baseado em produção por safra ou lote;
  • É sensível ao fornecimento de matéria prima;
  • Produz grandes lotes (commodities);
  • Produção baseada em transformação fisioquímica/biológica;
  • Somente escala de produção viabiliza custo.

Entendendo os contextos acima apresentados, vamos entender alguns principais desafios destes tipos de indústria:

MANUFATURA

  • Produzir em baixa escala com custo competitivo produtos especiais;
  • Produzir produtos especiais em grande escala sob medida;
  • Eliminar o Lead Time da Cadeia de Fornecimento (do P&D a Logística).

PROCESSOS CONTÍNUOS

  • Variabilidade de carga influencia no custo de produção;
  • Identificar Lacunas de oportunidade de elevação de produção;
  • Antecipação de eventos de Operação e Manutenção.

SOLUÇÕES E FOCO DE PROJETO

MANUFATURA

Como produzir em baixa escala com custo competitivo produtos especiais?

  • Projetar e implantar a Fábrica Flexível, que permita a Massificação da Personalização.

Como produzir produtos especiais em grande escala sob medida?

  • Projetar e implantar a Fábrica Descentralizada, que permita a Customização em Massa.

Como eliminar o Lead Time da Cadeia de Fornecimento (do P&D a Logística)?

  • Projetar e implantar a Fábrica Interoperável, que permita a Interoperabilidade da Cadeia de Valor.

>> Vejam as arquiteturas na apresentação e quanto aos conceitos verificarem Artigos Técnicos anteriores que já foram escritos.

PROCESSOS CONTÍNUOS

Como diminuir a variabilidade de carga influencia no custo de produção?

  • Implantar Controle Avançados APC com I.A. Inteligência Artificial para eliminar a variabilidade.

Como identificar Lacunas de oportunidade de elevação de produção?

  • Implantar Otimização em Tempo Real RTO com I.A. Inteligência Artificial para elevação de ponto ótimo de operação.

Antecipação de eventos de Operação e Manutenção?

  • Implantação de Gestão de Ativos com I.A. Inteligência Artificial para focar Manutenção com Prognóstico.

>> Vejam as arquiteturas na apresentação e quanto aos conceitos verificarem Artigos Técnicos anteriores que já foram escritos.

Como são os Processos de Batelada ou em Lote:

  • Preparação de carga de matéria prima ou produto final;
  • Processo que depende de TEMPO de REAÇÃO (física, química ou biológica);
  • A operação e qualidade se torna crítica se houver dependência de expertise operacional;
  • Repetibilidade é o que produz estabilidade na produção;
  • Em processos alimentícios o CIP Limpeza, faz parte do tempo de produção;
  • Capacidade de troca de receitas, diminui Lead Time na produção.

Na Digitalização de Processos de Batelada ou em Lote, é importante observar os principais pontos desafiadores neste tipo de fabricação:

  • Digitalizar o processo de modo a diminuir a Expertise de operação, isto é, o conhecimento do processo está na nuvem (Cloud);
  • A partir da digitalização, é possível analisar padrões produtivos, de forma a otimizar a produção pelo comportamento a cada lote processado;
  • A I.A. Inteligência Artificial apoiar a tomada de decisões na Receitas produtivas, servido de apoia a tomada de decisões junto aos gestores.

Em relação as Pessoas e Processo, podemos analisar seus principais impactos, fazendo uma relação antes (Como é), e depois (Como será):

Como normalmente é na Indústria:

  • Planejamento não acompanha produção – produção é puxada não conecta na cadeia de valor;
  • Operação toma ações locais e gestores tem expertise para tomada de decisões de produção para meta;
  • Manutenção analisa comportamento de ativos, usa preventiva e para processos para correções.

Como será esperado após a digitalização:

  • Planejamento e produção conectados em tempo real sob demanda – conectados na cadeia;
  • Operação supervisiona, máquina opera, gestor toma decisões baseado em Big Data e puxa otimização;
  • Manutenção trabalha com gestão de ativos baseado em condições, foco em prognóstico futuro – condições.

Para apoiar nos projetos propostos, nas dimensões Manufatura, Processos Contínuos e Batelada, sugerimos uma pesquisa nas Normas da ISA Sociedade Internacional de Automação, nos seguintes títulos:

ISA-106 – Processos Contínuos – Procedure Automation for Continuous Process Operations

ISA-88 – Controle de Batelada – Batch Control

ISA-95 – Integração de Fábrica – Enterprise-Control System Integration

Para complementar o foco de projetos nos dois tipos de produção industrial, podemos apontar algumas tendências tecnológicas, também nestas divisões:

Manufatura:

  • PROCESSOS: Fábricas mais perto dos consumidores;
  • TECNOLOGIA: Movimento entre máquinas com AGV;
  • PESSOAS: Muita personalização e customização de produtos.

Processos Contínuos:

  • PROCESSOS: Uso de Nanotecnologia para sensores;
  • TECNOLOGIA: Uso de DRONES para manutenção;
  • PESSOAS: Tomada de decisões baseado em I.A.

Concluímos que diversos são os impactos nas indústrias com a Digitalização, cada modelo produtivo tem um enfoque, tanto em tecnologia, processos ou pessoas. O importante é melhorar a qualidade e produtividade, de forma a extrair o que há de melhor neste momento da Indústria 4.0.